Home > DESTAQUES > Lideranças incluem conversa entre Kajuru e Bolsonaro no pedido de impeachment do presidente

Lideranças incluem conversa entre Kajuru e Bolsonaro no pedido de impeachment do presidente

Os líderes da Minoria e Oposição, da Câmara dos Deputados e do Senado, protocolaram na noite desta quarta-feira (14) um aditamento ao pedido de impeachment de Jair Bolsonaro, registrado pelo grupo no último dia 31 de março, com a inclusão da chamada telefônica tornada pública entre o presidente e o senador Jorge Kajuru (Cidadania).

De acordo com o aditivo, as conversas revelaram que o presidente tentou mudar o objetivo da CPI, pressionando para que o Congresso focasse na apuração da atuação de prefeitos e governadores.

Durante a conversa, Bolsonaro ainda disse a Kajuru que era preciso agir para pedir o impeachment de ministros da Corte.

Segundo os parlamentares, esse posicionamento do presidente pode ser considerado crime de responsabilidade, por tentar impedir o livre exercício do Poder Legislativo.

“Em um período de menos de 20 dias, o presidente Bolsonaro cometeu uma série de crimes de responsabilidade. Além de ‘cooptação às Forças Armadas’, no final de março, o presidente agora tenta impedir o livre funcionamento do Senado e constrange os ministros do STF. Caso ocorram mais crimes de responsabilidade do presidente, vamos incluir novos aditamentos. Pelo andar da carruagem, nos próximos meses, teremos uma lista enorme de crimes de responsabilidade e o impeachment do presidente da República pode se tornar inevitável”, afirmou o líder da Minoria no Senado, Jean Paul Prates (PT-RN).

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ), líder da Minoria na Câmara, diz que com o acúmulo de crimes em sua conta, Bolsonaro se tornou um “serial killer constitucional” e por isso não tem condições de permanecer à frente do Palácio do Planalto.

Sobre 71 Notícias

O 71 Notícias é um site contemporâneo, que traz para você os bastidores das notícias baianas e permite uma visão ampla sobre o cotidiano da Bahia e do Brasil.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Defensorias questionam à Prefeitura exigência de documentos para vacinação infantil

A Defensoria Pública da União e a Defensoria Pública do Estado solicitaram da Prefeitura de Salvador e da Secretaria Municipal ...