Home > Bahia > Após suspensão de contrato, Bahiafarma volta a fornecer 100% de insulina usada no SUS

Após suspensão de contrato, Bahiafarma volta a fornecer 100% de insulina usada no SUS

Após um hiato em 2020, a Bahiafarma voltou a fornecer insulina para o Sistema Único de Saúde (SUS) e agora sai da Bahia 100% da insulina humana utilizada na saúde pública do Brasil. A suspensão do fornecimento no ano passado se deu após o Ministério da Saúde suspender contratos com sete grandes laboratórios públicos que produziam 19 medicamentos. Na época, a farmacêutica baiana era responsável por 50% da quantidade de insulina do sistema de saúde brasileiro. De acordo com o presidente da fundação, Tiago Moraes, no final do ano de 2020 um novo contrato com o Ministério foi assinado e a empresa baiana voltou em fevereiro a fornecer a insulina.

 

“Fomos vencedores da licitação para fornecer insulina para todo o Sistema Único de Saúde (SUS), e desde fevereiro temos fornecido, portanto retomado o fornecimento. O contrato está vigente para todo o ano de 2021”, contou.

 

Está em andamento um plano para expandir a produção de insulina da Bahiafarma. Está sendo implementada na cidade de Dias D’Ávila, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), a Bahiainsulina. Tiago explicou que no momento o projeto está na etapa de estruturação documental. “A gente espera em breve reestabelecer a parceria para desenvolvimento produtivo da insulina, que vai nos dar melhor condição de estruturar todo capital e de fato fazer os investimentos necessários para construção dessa planta aqui no estado da Bahia”, afirmou. A expectativa é de que a fábrica contrate de 300 a 500 trabalhadores.

 

Além do contrato com o Ministério, que é a principal fonte de receita da estatal, a Bahiafarma passará a fornecer itens ao Laboratório Central de Saúde Pública Profº Gonçalo Moniz (Lacen-BA). Cabe a fundação também o auxílio a Diretoria de Vigilância Epidemiológica do estado a partir de um convênio com a Organização Panamericana da Saúde (Opas).

 

Durante a entrevista o presidente da Bahiafarma ainda falou sobre a vacina russa contra a Covid-19 Sputnik V, os impactos da pandemia da Covid-19 na fundação, a relação e o contrato com o Ministério da Saúde e destacou o papel importante de institutos e empresas estatais de ciência e tecnologia, como a Bahiafarma, Butantan e Fiocruz.

Sobre 71 Notícias

O 71 Notícias é um site contemporâneo, que traz para você os bastidores das notícias baianas e permite uma visão ampla sobre o cotidiano da Bahia e do Brasil.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Inscrições para a 1ª etapa do Revalida começam nesta segunda-feira

As inscrições para a primeira etapa do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior ...